terça-feira, 15 de janeiro de 2013

[desabafo]

Sim senhor. Não bastava estar desempregada ainda vão dar assim uma aparadela no subsídio. Eu não estou desempregada porque queira, estou porque a crise é a desculpa para muita coisa e eu fui englobada na desculpa. Se calhar, ok até posso comer essa, pode não ter sido bem desculpa. Mas caramba. 
Estudei, fui-me formando ao longo dos meus anos de trabalho, apliquei-me no que fazia, sentia-me parte de uma família, tinha cuidado para não estragar o que não era meu, porque isso implicava custos extra desnecessários, fazia coisas que era "gozada" pelos supostos "doutores" (doutores muitos deles de merda, que se tinham o 12º ano era bom. Mas achavam-se os maiores), etc. Continuo a formar-me, e nem para recepcionista servi este verão, quando tentei ocupar um mês de verão a fazer as férias de uma pessoa. "Tem muita formação". Caramba, decidam-se. Quem faz o muito, faz o menos, sabiam?
Bom, mas não é esta a questão inicial. A minha questão é, 6%??? Óh Gasparzinho, tu sabes o que é, viver de um subsídio, passar os teus dias sem conseguires ver o futuro e rir e sorrir, porque a sociedade não tem que levar com as tuas trombas?
Sabes o que é ter medo do dia em que chega a factura da luz, porque tentaste durante o mês dar algum conforto às tuas filhas, para as quais olhas e ficas com os olhos brilhantes sem perceberes o que será desta gente. Sim, o aquecimento é a electricidade, óh Gasparzinho. 
Sabes o que é viver entre talões, descontos, listagens iniciadas com preços em vários estabelecimentos, para tentares fazer, a tua volta das compras, o melhor que consigas e poupar uns trocos? Não sabes, felizmente, também te digo. Não desejo para ninguém e infelizmente acho que já somos tantos a passar por estes trilhos, que já chega.
E quando tens como ajuda os teus pais, que trabalharam e lutaram anos a fio para agora poderem ter uma vida mais tranquila e dar uma ajuda à filha e às netas, e vens tu também e pimbas. Vamos dar um corte aqui nestes também. Tu sabes o que é partilhar uma sardinha ou ter apenas um par de sapatos que eram usados para levar à missa? Sabes? Pois, estes, a quem resolves cortar, sabem-no.
Mas quando é que isto pára? Cansada é como me sinto com estes corta aqui, corta ali.
E pronto, já desabafei mesmo que nada ajude.

5 comentários:

Adoro-te Mamy... disse...

Não posso não comentar minha linda, revejo-me tanto neste teu post, tenho o meu marido tb desempregado, e sem contar... recebemos a noticia no dia do 3º aniversário da nossa filhota, foi um misto de tudo neste dia... nem gosto de lembrar! Vivo os dias numa ansiedade tremenda, do que nos chega a casa, pois de emprego, nada, chego à conclusão que temos de pagar para trabalhar, e é tão duro e triste!!!! Perdi a confiança, a esperança e a cada dia que passa a revolta inteiror é cada vez mais forte... Valem os pais extraordinários, que sempre amialharam para uma velhice mais sossegada, mas sem que uma palavra se diga sentem os que nos vai na alma... temo pela minha filhota que mesmo sem preceber nada do que se passa, ainda, venha a pagar uma factura de algo que não tem resposabilidade nenhuma! O dinheiro não é tudo mas ajuda a que tudo torne uma vida mais feliz!
Uma beijinho minha linda e força muita, por nós pe pelos nosso filhotes que precisam tanto de nós!

Y. disse...

Eu não sei o que é estar desempregada mas trabalho a part time e felizmente recebi a noticia que se vai estender por mais uns 6 meses.... e depois não sei... e viver assim também não é fácil.
Não há planos, há descontos e talões e muita organização para fazer render cada tostão. Pagar mensalidades do infantário em avançado (que é algo que me faz muita confusão a esta cabeça especialmente quando estou a pagar Agosto e eles fecham meio mês ?!?!?!? enfim...) e podia estar aqui a fazer queixas até gastar os caracteres. Já não vejo o telejornal porque me rouba o sorriso, tenho imenso medo de tudo pela minha filha e por mim e por todos nós. Porque eu não fico bem sabendo a cada dia que cada vezmais pessoas estão como tu, vejo-as à minha volta, leio sobre elas e muitas são minhas amigas do coração... e os dias passam porque o tempo não pára só porque tu precisas de descansar e a palavra injustiçadeixa-me tantas vezes surda de a ouvir. Espero que tudo corra pelo melhor a sério! Afinal amanhã posso ser eu...

D. disse...

Obrigada pelas vossas palavras, minhas queridas.
@Y. espero que não, que não entres neste "mundo".Obrigada pelo teu carinho.
@Adoro-te Mamy um beijinhos grande para ti também e muita, muita força. Estamos por cá para o que for preciso.

Paula Nogueira Guerra disse...

Sei muitooooo bem o que isso é.... a ultima vez que estive desempregada em Portugal estive dois anos... e dois anos a enviar uns 20 curriculos por dia para TUDO (na minha área e fora dela- bem fora) e nada... e ouvia o mesmo que tu: tem um curriculo muito extenso... tem experiência a mais bla bla bla parvos do caraças!
Só mesmo em Portugal é que não valorizam o que de bom temos, muito pelo contrário!
O importante é NUNCA DESISTIR, acreditar que um dia uma janela se abre e tudo irá correr bem.

Uma beijoca cheia de força e coragem xxxxx

Scarlet Red disse...

Também me queixei do corte lá pelo blog... e esta semana tive uma sessão de incentivo no centro de emprego que só incentivou ao suicídio! :(
Nunca antes me tinha sentido tão desanimada!
A única coisa que posso dizer é que se alguém precisar de ajuda para fazer/rever/traduzir um curriculum que me envie um e-mail: scarletredwoman@gmail.com
E se precisarem de trocar ideias sobre como procurar emprego na net, também estou nessa luta e pronta para trocar ideias e dicas.
Não podemos desanimar e a união faz a força!
Beijo