segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Apenas, ir

Por vezes sonho e gostava de apenas, ir. Emigrar e viver num país diferente.
Pegar nas filhas e marido e ir viver vivências diferentes, cheiros diferentes, costumes diferentes.
Ouço ou leio sobre aquelas pessoas que têm trabalho fora do nosso rectângulo e partem com a sua família, pois compensa, pois é melhor para todos e vivem-no como um todo. 
E eu tenho noites em que também gostava tanto de ir, assim, onde o destino me "obrigasse" a ir.



terça-feira, 4 de setembro de 2018

Regresso às aulas, regresso ao Yoga

Setembro chegou e com ele o regresso das crianças à escola, os dias mais curtos e frescos, os chinelos que se começam a arrumar e o cheiro da terra que vai insistindo em aparecer.
Para mim, é também o regresso às aulas de Yoga. 
Confesso que tinha já saudades. A preguiça, ou a falta de booster de vontade, não me fez tentar fazer em casa yoga durante as férias. 
Também, confesso que não sei assim tanto para o fazer, mas com o YouTube, chegasse a exercícios que nos permitem fazer qualquer coisa. Mas não fiz nada.
Vai recomeçar e este ano, vou iniciar com duas vezes por semana. 
Estou contente, porque gosto bastante e, fico cansada e aliviada no final das aulas com o meu professor fantástico, o Bruno.
E é já hoje! Yupi

Update do "D. a pôr-se na linha"

Nunca mais vos contem como ia a minha dieta.
Eu sei que não o fiz, apenas porque achava que já vos estava a aborrecer com aquilo.
Mas hoje, chegados que somos a Setembro, tenho a dizer-vos que, cheguei à nutricionista a 24 de Fevereiro com 69,1 kg e no dia 25 de Agosto a balança dela anunciava 55,2 kg, sendo que no início de Agosto já tinha passado pelos 54,6 kg.
Está bom! Agora, é entrar na fase de manutenção.
Introdução gradual de alguns alimentos que forma retirados, avaliar como reage o organismo e, principalmente, não me martirizar se comer uma bela sobremesa, só porque sim.
Não me martirizar, mas saber equilibrar.
Das coisas que aprendi, o que me faz menos bem aos intestinos. Consegui ver-me livre do leite que sem dúvida me fazia os intestinos andarem numa luta. 
Aprendi a fazer legumes de mais formas e, principalmente, a gostar mais deles. 
Reparei que os doces se tornaram realmente doces para mim e habituei mais (sim, porque praticamente já não usava açúcar para nada) o meu palato à ausência do açúcar ou outro tipo de adoçantes.
Agora, lentamente, vou introduzir pequenos almoços que possam, eventualmente ser ainda mais saciante.
E é isto, em 6 meses, foram 13,9 kg (vou guardar bem estes números!) e cheguei ao peso que sempre tive.
O que espero e, confesso receio de não conseguir, é manter este estado de felicidade quando olho o espelho.
D., achavas que ias conseguir?
Acreditem, tive muitos momentos de grande dúvida. Mas reconheço que fui muito corajosa e forte em variadas situações.

quinta-feira, 23 de agosto de 2018

A hora do mês terrível!

E não, para mim, não é Setembro. É Agosto.
É em Agosto que, por norma, adquiro os livros da escola e o material escolar principal e básico. Ora isto, logo seguido de período de férias, é um abanão no orçamento.
Vale-me o subsídio de férias, que lá é bem esmifrado e partilhado por estes dois items de verão. Mesmo assim, fica bem aquém do que seria confortavelmente necessário. 
E assim foi, chegou a hora do mês terrível!

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

da minha grande admiração por alguns outros



Há muitas pessoas, vidas e decisões que admiro e que quase me fazem achar que eu praticamente não tenho coragem, ou tenho, mas, pouca.
Das coisas que mais admiro, e tenho “inveja” (da boa, entenda-se), é do pessoal que emigra. Tentam outras terras, outros lugares, outras realidades.
Admiro mesmo muito. Acreditem!
Quando são novos, pelo sangue que lhes vai nas guelras, fresco, de vermelho vivo, cheio de sonhos e força para os tornar reais.
Quando mais velhos, a coragem e a força que têm para sair da sua bolha, da sua zona de conforto, do que têm, mais ou menos, por garantido.
Têm toda a minha admiração. E eu, a pena de não ter a vossa coragem, pois quantas vezes sonho que, vou acordar em outro lugar, em outro cheiro, até, em outra língua.

quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Problema de quarta-feira 1º de Agosto

Estás à secretária.
Tens muito o que fazer, sabes que tens mesmo de o fazer, mas não te apetece fazer nada.
O que fazes?!

terça-feira, 24 de julho de 2018

Confessem lá! Não me façam sentir a ave rara do forno!

Serei eu uma ave rara, que faz do forno um "armário" de tabuleiros, fritadeira e etc?
O meu forno, é assim que está. Transformado em armário do que não é tão usado. Porém, de cada vez que preciso de usar o dito forno, há sempre um dos tabuleiros, por norma, que é usado, mas toca de tirar tudo o resto lá de dentro, para se conseguir usar.
As pipocas, gozam!
Mas porque é que guardas isto aqui?! Parece que não há espaço cá em casa!
Serei eu uma ave rara?

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Para mais tarde, recordar


Ílhavo (Aveiro) - Farol da Barra
(a nossa terra natal)



Braga - Bom Jesus de Braga




Gerês - Parque natural Peneda - Gerês




Picos da Europa - Astúrias (Espanha)



Cangas de Oniz - Picos da Europa



Nós, os turistas

Férias - a segunda tranche, está quase à porta

Este ano, já iniciámos, em Junho, as nossas férias.
Rumámos a norte - Aveiro - Braga - Gerês e o destino que inicialmente nos moveu - Picos da Europa.
Foram umas férias, onde palmilhámos muitos quilómetros, mas muito boas. 
Sítios maravilhosos de cortar a respiração. A perfeita sensação de que estávamos, constantemente, a pertencer ao cenário do filme "Música no coração". 
Uma paz, um respirar ar bom que nos enchia os pulmões de vida. 
Aconselho muito a percorrer estas terras lindas que a mãe natureza no proporciona.
(assim que consiga, deixo aqui uma ou outra foto)

Mas agora, está já a chegar, a segunda parte. Desta vez, queremos praia, areia, sol, protector solar, bolas com creme, gelados e não fazer nada!
Gosto tanto!


terça-feira, 3 de julho de 2018

Deus me ajude!

Apoia e encoraja os teus filhos porque eles acreditam naquilo que tu acreditas que eles são.

Com a imaginação desta malta, por vezes, é tão difícil!