terça-feira, 7 de agosto de 2012

É verdade. Filhos sonhados.

Post comprido. Não digam que não avisei.

Com a chegada das idas à praia, há sempre um livro que anda de cá para lá ou uma revista de lá para cá.
Desta vez, foi lá parar algo que já não tinha, para aí desde que a minha caçulinha tinha 1 ano.A Pais & Filhos.
Desfolhando-a, encontro um artigo que me toca. "Infertilidade: os filhos sonhados".
Também eu, ou melhor nós, na altura, passámos por esta tormenta dos filhos sonhados. Foram.. já não me recordo exactamente (acho que a nossa memória em algumas coisas é fantástica e naturalmente apaga "tempos"), mas diria que 2 anos de muito médico, muito tratamento, muita hormona, muita coisa. Cheguei, chegámos, à inseminação artificial. Não "colou" à primeira e enquanto aguardava pela 2ª, engravidámos. 
Vou agora passar só para o meu relato.
Parecia um milagre no meio de tanto sofrimento, que muitas e muitas vezes passei calada. Recordo muitas vezes, a questão do aborto selectivo que tive de decidir para poder fazer a inseminação. (Caso mais que dois óvulos fossem fecundados, teriam de abortar os excedentes).
Não que não tivesse apoio, tinha bastante, mas porque não queria passar ainda mais a dor e sofrimento para alguém que sofria também, o pai. - E como este deve também ter sofrido psicologicamente com tudo isto. Era o filho que se queria, que não vinha. Eram as agulhas que tinha de espetar, que o arrepiavam. Era a minha frustração, que o abalavam. Não foram períodos fáceis para ambos. Relembro um dia em que me disse: "Estás a sofrer com tudo isto. És uma valente, que eu se calhar não aguentava. Se não tivermos filhos, não te preocupes, seremos felizes na mesma." Mas eu, como sempre, tentava demonstrar que tudo estava bem. "Não há problema - dizia - Está tudo bem!" Mas passei por momentos de vazio, dor, frustração. Sei lá.
Mas finalmente consegui. E nesse momento recordo o meu sentimento de alegria extrema, misturada com tensões e muitos medos. Quase sempre, a disfarçar tudo.
Hummm... giro ter aqui recordado e exposto algo que praticamente nunca partilhei. E momentos que nem com o pai falei. E também já não os vou partilhar.
Tudo isto para concordar que realmente os "filhos sonhados são filhos imaginados". Quem passa por estes processos sabe a fantasia toda que a frustração lhe provoca.
E por ser um sonho que começa muito antes de se concretizar, sem dúvida, sou mãe há muitos anos. 


7 comentários:

SaintWolf disse...

Felizmente que a tua história tem um final feliz :)
Conheço um casal que anda a passar por esse processo, e até eu, o passei um pouco. Para os homens pode ser dificil, mas nada me tira que para a mulher o é muito mais.

Tanita disse...

Nao fazia ideia que tinhas passado por isto. felizmente o teu, é um caso de sucesso. Bj**

D. disse...

É complicado sim, SaintWolf. A minha teve um desfecho feliz e uma repetição boa (2filhas lindas), felizmente.

D. disse...

É verdade Tanita. Não falo muito. Mais uma das que acumulo. Quando parar no psicólogo, é tudo junto. :-).
Bjs

Sissy disse...

Adorei ler este teu post. Não só pelo final feliz, mas também porque não é uma situação fácil.

Os meus parabéns.

Beijooo********

D. disse...

<3
Obrigada Sissy.
Beijocas

Paula Nogueira Guerra disse...

Ainda bem que correu tudo bem pois isso é o que conta :)

Um beijinho carinhoso xxx