quarta-feira, 24 de agosto de 2011

"Coisas de miúdos"

Numas das passagens por vários blogs fui parar a uma Mãe como eu, também ela uma Mãe de saltos altos, sabrinas, ténis e havaianas. Como eu. Como muitas de nós se não todas.
Este é também um tipo de blogs que gosto de ver, uma vez que aprendo sempre qualquer coisa com os outros, neste caso as outras, pois não sei tudo. E como Mãe (por vezes) até acho que sei nada. Entre outros post interessantes, saltou-me este que aqui deixo, uma vez que é mesmo assim, "Quando não temos filhos temos toda uma panóplia de teorias acerca da maternidade. Geralmente, 99% dessas teorias caem por terra no exercício da dita maternidade, quando nos vemos a braços com seres pequeninos que, regra geral, dependem de nós para sobreviver."

Eu nunca fui muito de comentar a forma de maternidade ou paternidade dos outros. Na verdade, nunca liguei muito a isso, talvez por aí não me dava muito para tecer opiniões. Mas recordo-me bem de quando via uma birra de uma criança, pensar: - Mas não lhe dão uma palmada porquê? Foge, só rezo para se um dia tiver uma criança não me faça destas birras. Pois é! E fui mãe e as minhas rezas não chegaram para tudo e muitas vezes também tenho direito a estas ou a essas birras.

7 comentários:

Kelle disse...

E agora que és mãe diz-me tu porque é que não se dá uma palmada quando os miúdos estão a berrar só por birra! :) (Não sou mãe e também me saem comentários desses)

D. disse...

Kelle, porque as outras mães não dão, não sei. Eu dou sempre que acho necessário. Não é andar a bater só porque sim, é dar a palmada na hora certa (ou que pensamos ser). A verdade é que a maioria das pessoas fica a olhar e a mim até já me aconteceu vir "uma avó" criticar-me.

Kelle disse...

D. eu nas minhas teorias (e na minha experiência como filha) acho que às vezes uma palmada dada na hora certa faz milagres! Isso e uns castigos de vez em quando, daqueles sem ceder :)

S* disse...

Alguns blogues são realmente inspiradores.

D. disse...

@Kelle, também concordo contigo.
@S* se ha!

L.O.L. disse...

Em miúdo, bastou a mim levar umas palmadas bem dadas na hora certa. Remédio santo. Acabaram-se logo as birras. :D

D. disse...

@ L.O.L acho que a todos nós! :)