quarta-feira, 2 de março de 2011

Ao que o acaso nos leva

Hoje fui aqui parar! Já não sei como muito menos sei o porquê. Foi o acaso ou o destino. Mas fiquei um pouco a ler, não tudo. Seria impossível. Comecei por onde tento começar em todos os novos blog onde vou parar. Pelo início. Ajuda a enquadrar o porquê, ou não, da existência de um blog. E li saltitando de post em post, de comentario em comentário. Comecei a ficar emocionada com a força, a luta, o ânimo e o desânimo. A boa disposição de tantas pessoas que estão, e estas sim, numa situação complicada. Com a lição de vida que transmite a Aida e todas as pessoas que a acompanharam e ainda acompanham.
Mais uma vez, voltou-me a sempre frase "a vida é uma merda", mas temos de a saber ter.
Até que cheguei ao último post e aos seus comentários. E foi aqui que "a ficha me caiu"! Foi aqui que me lembrei de tantas e tantas coisas com que nos preocupamos, que nos tiram o sono e que por vezes são quase nada, comparando com tantas outras coisas.
Bem sei que, infelizmente, é "só mais uma história". É "só mais um caso". E nunca sabemos quando é o "nosso" caso. Desejamos e rezamos para que nunca seja. O que espero, é se um dia cair numa destas fatalidades, consiga ter e ser também um pedacinho de exemplo.
E no meio de tantos comentários, lindo, profundos, amigos, houve um que me tocou especialmente e que gostaria muito de ter tido eu a lucidez para o ter escrito. Como não fui, aqui o transcrevo. A quem o escreveu, só tenho a dizer que me tocou muito em vários e diferentes aspectos da minha vida.

"Existem pessoas em nossas vidas que nos deixam felizes pelo simples fato de terem cruzado o nosso caminho. Algumas percorrem ao nosso lado, vendo muitas luas passarem, mas outras vemos apenas entre um passo e outro. A todas elas chamamos de amigo.
Há muitos tipos de amigos.
Talvez cada folha de uma árvore caracterize um deles.
O primeiro que nasce do broto é o amigo pai e o amigo mãe. Mostram o que é ter vida. Depois vem o amigo irmão, com quem dividimos o nosso espaço para que ele floresça como nós.
Passamos a conhecer toda a família de folhas, a qual respeitamos e desejamos o bem.
Mas o destino nos apresenta outros amigos, os quais não sabíamos que iam cruzar os nossos caminhos. Muitos desses denominamos amigos do peito, do coração.
São sinceros, verdadeiros; sabem quando não estamos bem, sabem o que nos faz feliz...
As vezes, um desses amigos do peito estala o nosso coração e então é chamado de amigo namorado. Este dá brilho aos nossos olhos, música aos nossos lábios, pulos aos nossos pés.
Mas também há aqueles amigos por um tempo, talvez umas férias ou mesmo um dia ou uma hora. Estes costumam colocar muitos sorrisos na nossa face, durante o tempo que estamos por perto.
Falando em perto, não podemos esquecer dos amigos distantes. Aqueles que ficam nas pontas dos galhos, mas que quando o vento sopra, sempre aparecem novamente entre uma folha e outra.
O tempo passa, o verão se vai, o outono se aproxima, e perdem algumas de nossas folhas.
Algumas nascem num outro verão e outras permanecem por muitas estações. Mas o que nos deixa mais feliz é que as que caíram continuam por perto, continuam alimentando a nossa raiz com alegria. Lembranças de momentos maravilhosos enquanto cruzavam o nosso caminho.

Desejo a todos vocês, folhas da minha árvore,
Paz, Amor, Saúde, Sucesso, Prosperidade...
Hoje e Sempre...
Simplesmente porque:
Cada pessoa que passa em nossa vida é única. Sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós.
Há os que levaram muito, mas não há os que não deixaram nada.
Esta é a maior responsabilidade de nossa vida
E é a prova quase evidente de que
duas almas não se encontram por acaso."
bjsssss"

4 comentários:

Sissy disse...

Muito bonito, sem dúvida!

Beijooo****

Ivan Mota disse...

Bonita homenagem. É nobre o que estas pessoas fazem.

S* disse...

Pessoas que cruzam o nosso caminho e nos marcam. :')

SaintWolf disse...

Gabo e respeito quem tem tanta força...