segunda-feira, 14 de outubro de 2013

enquanto a ganache arrefece

venho até aqui dar-vos conta de que hoje, à sete anos atrás, estava com algumas dores, porém quase a ficar bastante "aliviada". É. A sensação que tive em ambos os nascimentos das minhas filhas, foi de "aliviada".

Faz hoje 7 anos que nasceu uma menina doce, doce como só ela. Foi numa manhã de sábado. É doce por dentro e por fora.  Foi um anjo ternurento que veio para ao pé de nós. Foi a minha aposta em que a sua irmã, um dia mais tarde, não ficasse só.
Recordo, ainda bem presente, aqueles dois pezinhos encorrilhados e arroxeados que colocaram em cima da minha barriga. Recordo, perfeitamente, o cheiro dela e o que perfumava os momentos em que em mim se enroscava e mamava.
Bebé bolachudo e muito calmo. Sempre adorou colo e adora. Sente-se feliz enroscada em nós. É uma pessoa de toque. Muito atenta aos outros e de uma teimosia que mete dó. 
Consegue levar as pessoas pela sua forma dengosa de ser.
Foi mais um milagre na minha vida, que hoje e com tudo o que temos percorrido, é um amparo e um porto de abrigo.
Amo-te muito, meu doce peque.

Bom, agora vou ver se a ganache já arrefeceu.


5 comentários:

Paula Nogueira Guerra disse...

Porque são os filhos, independentemente de tudo, as nossas maiores alegrias!

PARABÉNS ÁS DUAS PRINCESAS XXX

Tanita disse...

Muitos parabéns à pequeina e à mamã também!
beijinhos**

D. disse...

Muito obrigada às duas, Paula e Tanita.
Beijinho muito grande

A Cor dos Meus Dias disse...

Muitos parabéns!!! Bjos

D. disse...

Obrigada Cor dos Meus Dias. Escapou-me agradecer-te também.
Beijinho doce