segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Não me venham com histórias

Não me venham com histórias, Mãe é Mãe.
Estando eu a beber um café, chorava cupiosamente um niquinho de gente com, para aí, dois meses no máximo.
Claro, as pessoas olham e a senhora, com ar de avó, que o tentava acalmar, embalar e aconchegar, só dizia:
"A mãe foi comprar "não sei o quê" e deixou o leite aqui no biberon, mas ela não quer."
E o chori sofrido aumentava.
Nisto, chega uma senhora que voava nos seus sapatos em direcção ao niquinho.
Era a mãe.
Pegou, encostou-o e parece que de forma automática o niquinho recuperou o fôlego e acalmou-se.
Ali está ela a beber o seu leitinho, da mama da mãe, serena como o cair da tarde.
Avós são seres mais que precisos, tios óptimos para brincar, e pai necessário também.
Mas não me venham com histórias, Mãe é Mãe.

3 comentários:

ML disse...

:) é mesmo... Mãe é mãe!

D. disse...

;) ML

mfc disse...

É um ser insubstituível.

Beijos,