segunda-feira, 17 de outubro de 2016

O que tem o Alamal a ver com quando eu for mais velha

Se calhar para cada um de vocês, não tem nada a ver. Para mim, também não tinha, mas acho que passou a ter.
Este fim-de-semana, fomos ao Alamal, em Gavião. Mais um local mágico deste nosso Portugal. Lindo, tranquilizante, acolhedor. 
Após convívio com algumas pessoas da localidade, veio connosco a vontade de, também nós, podermos vir a viver num local daqueles. Vir a viver, naquele local. 
Não poderia ser já, pois as minhas filhas ainda são pequenas, precisam de mim e eu ainda preciso mais delas. Mas quando chegar aquela altura da vida que, elas já pouco querem ou precisam de mim, acho que é aí, que vamos os dois arranjar maneira de viver naquela paz de Portugal. 
Regressámos a sonhar, finalmente, com a nossa casa de madeira, numa encosta, com um alpendre de frente para o rio. Imagino a cadela a correr naquela praia fluvial e as miúdas a irem visitar-nos cada vez mais vezes e a não quererem deixar aquele paraíso para trás.
Bom, e depois adormeci e acordei no dia seguinte, na "pasmaceira" dolorosa de sempre. 
Aqui fica um bocadinho do que vi e registei,

 Rio Tejo visto do lado de Belver, onde almoçámos de forma divinal
 Castelo de Belver






5 comentários:

estrela disse...

eu tbm tenho um sonho de ir viver quando for mais velha para Manteigas!!!

Alex disse...

Que maravilha!

D. disse...

@estrela, espero que um dia o concretizes. Eu fiquei encantada com esta terra

Portuguesinha disse...

Lamento informar-te mas essa idealização de progressão de vida não é viável. OS filhos, mesmo depois de crescidos, sempre precisam dos pais e vice-versa. Lembra-te que há muitos filhos adultos a regressar à casa dos pais por causa da actual situação socio-económica do país, da má empregabilidade e dos maus salários.
Portanto não ponhas tanta esperança no sonho da "casa de madeira na encosta". Até porque, por vezes, o sonho transforma-se em pesadelo e nada é como foi idealizado. Podes sempre ir passear para esse local.

EMIGRA.
Pode ser que, como outros antes de ti, depois de uma vida de muita luta, o dinheiro juntado dê então para comprar a casinha na encosta. E ajudar os filhos.
:))

D. disse...

@Portuguesinha, quem não sonha, não vive.
Não sejas tão radical. Nunca se sabe o futuro