quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Avó

Revi-me, revendo a avó das minhas filhas neste texto. (Não querendo por-me a falar de outras pessoas, posso também dizer que revejo, de certa forma, a avó paterna das minhas lindas aqui também.)
Quanto a mim, directamente, não me revejo, pois infelizmente vivi longe delas, felizmente a minha mãe esteve sempre comigo pois tenho um pai que conseguiu sempre aguentar as pontas e assim proporcionar algo à família que hoje em dia não é nada comum nem possível.



Quem consegue amar de forma incondicional como a minha mãe, mesmo por cima de tantos problemas de saúde que tem e de tanto esforço que se vê faz, só pode ter um cantinho bem doce guardado para ela. Um dia, também gostava de assim ser.

3 comentários:

Paula disse...

Infelizmente, pouco contacto tive com as minhas avós, mas gostava de ter tido avós dessas, que nos trazem miminhos e que são segundas mães!

D. disse...

:) eu também as gostava de ter tido, assim, para mim.

mfc disse...

Guardo uma imagem de um meu avô paterno que sempre foi de uma ternura incansável comigo!
Há saudades que se tornam dada vez maiores à medida que o tempo passa.